Daily stories

A vida de um agente multifacetado

Anomalia

No mundo tudo está parado, nada se move, tudo está esquecido de quão bom é se mexer… Quando tudo girava, rodopiava, saltitava, passeava, ria, chorava, sofria era tão bonito… Ver os cães a brincar, as pessoas a fazer jogging, a irem às compras, a irem para a escola, aqueles passeios a pé! Oh… Agora só se vê carros, motos, camiões, motorizadas, nem uma bicicleta se pode vislumbrar… (E dizem que a gasolina está cara!) Estão a construir prédios por todo o lado… Como se tudo na vida fosse viver enclausurado numa pequena gaiola, a muitos metros do chão, sem espaço para um jardim, um pequeno relvado, umas plantas…. Este povo quer viver de dióxido e monóxido de carbono e outro produtos que tais… É a revolução… Todos querem morrer, inconscientemente, mas querem… Se tiverem consciência vão para o campo, é tão bom estar lá, o ar (ainda que não puro, mas muito mais limpo que o da cidade) faz bem melhor, ouvir cursos de àgua a passar sabe tão bem, dar um passeio por montes e vales, ou apenas tratar de um jardim, quissá uma pequena horta!

Devo ser eu que devo ser mesmo muito esquisito afinal… Ou o mundo está perdido…

Como aquela rapariga, linda, como só ela, que pretende emagrecer…
Como aquela pessoa que tão mal ganha e ainda assim pretende um carro para se deslocar nos 100 metros que a separam do café…

São decisões que as pessoa tomam, que as pessoas devem ajuízar se realmente vale a pena, porque a decisão é inteiramente delas, mas têm sempre a opinião dos amigos…

Os amigos gostam mesmo de nós….
Existem amigos, conhecidos e amigos de ocasião…

Às vezes prefiro ter conhecidos a amigos de ocasião… Estes só aparecem quando precisam e quando precisamos conseguem tornar-se numa espécie de David Copperfield e desaparecer…
Os conhecidos são aqueles que cumprimentamos ao longe, por quem passamos todos os dias, que se calhar nem recordamos o nome, mas que sabemos que estão ali…

Os amigos… Acerca dos amigos não há muito mais que eu possa dizer além do que já toda a gente sabe… Estão sempre quando precisamos, se não estiverem tentam estar, nem que seja por uma simples chamada telefónica, mas a voz, ou na pior hipótese, a letra está sempre presente… Têem sempre um bom conselho, um ombro para chorar, um abraço para dar naquela hora de felicidade… São aqueles que nós mais precisamos e por vezes afastamos…

Sim, o mundo é tão estranho… E pensar que o estranho era eu…
Afinal…
Sou apenas mais uma anomalia no sistema…

[root@localhost arnax]$ rm -rf /

2 Comments so far

  1. May 2nd, 2007

    | 12:45 am

    Olha que eu já fiz “rm / -rf” e não me resolveu problema nenhum. O que estava na memória foi correndo bem, mas uns meses depois tive que começar tudo de novo.

    Vá lá… não és o único a pensar assim de certeza (não és uma anomalia) e também não és o único a fazer “rm -rf /”… pelo menos literalmente, pois eu já o fiz 😛

    Abraço

  2. Sofia
    June 14th, 2007

    | 12:17 pm

    estou contigo. também penso assim.

    diria que existem os conhecidos, os colegas e os amigos (talvez seja exagero colocar plural). amigos existem poucos…ui mt poucos. os amigos são para todas as ocasiões, é pena alguns que se dizem amigos estarem só para “o que bem lhes apetece” enfim!

    já se faz 10m de carro 😐